Telefones: (86) 3303-4222 / 3303-4320

Férias – Sal e cloro: os inimigos dos olhos

Muito sol, piscina e protetor solar: estes são alguns dos ingredientes mais comuns em um verão com altas temperaturas. Apesar de tudo isso também significar muita diversão, vai o alerta para os cuidados específicos para os olhos, que, quando seguidos à risca, podem prevenir incômodos e garantir férias mais felizes.

As alergias oculares e irritações são problemas comuns durante este período do ano, e, de um modo geral, decorrem do excesso de cloro em piscinas, da exposição à luz do sol e aos filtros solares. "O excesso de cloro na água da piscina, além de causar reação alérgica, gera uma grande irritação e vermelhidão na região dos olhos, pois o cloro presente na água seca as lágrimas, deixando as pálpebras ressacadas. Logo que a pessoa sair da água da mar, piscina ou lago, é importante lavar bem o rosto, principalmente os olhos.

Sal e cloro: os inimigos dos olhos | ViaOftalmo

Nos dias de sol intenso, os olhos precisam de cuidados especiais e proteção diária para driblar a alta incidência de raios ultravioleta (UV). Isso porque, o excesso de luz deixa a região mais sensível, suscetível à irritação e vermelhidão. Além disso, a falta de atenção pode desencadear complicações sérias à visão, como inflamações e queimaduras na córnea e na retina.

A melhor maneira de proteger os olhos do sol é usando chapéus e óculos e reforça que, em caso de alergias leves, o tratamento deve ser feito a base de colírio lubrificante ou "lágrima artificial", para lubrificar os olhos. Outros tipos de colírios exigem prescrição médica.

Óculos escuros

Apesar de simples, o acessório é um dos mais seguros para a proteção ocular. Os óculos de sol têm grande eficácia e podem ser usados até nos dias nublados, porque não só a luz do sol, mas também a claridade do ambiente pode prejudicar a visão”, afirma Vicente Vitiello, oftalmologista do Hospital e Maternidade São Luiz, de São Paulo. Porém, é preciso critério na hora de comprá-los, pois produtos piratas muitas vezes não possuem os filtros de combate aos raios solares e causam efeito reverso, prejudicando ainda mais os olhos.

Chapéus

Simples, mas indispensável, o uso do chapéu reduz a exposição direta dos olhos aos raios solares. No entanto, ele só deve ser utilizado sozinho após as 16 horas, quando a incidência solar é mais fraca, sem risco de brilho excessivo. Antes desse horário, o acessório deve ser acompanhado de óculos para reforçar a proteção.

Lágrimas Artificiais

Usados para combater a irritação provocada pela emissão dos raios solares e a salinidade da água do mar, os colírios lubrificantes - também chamados de lágrimas artificiais - são recomendados após um dia na praia. “Elas aliviam o problema da irritação ou vermelhidão excessiva, auxiliando na lubrificação do globo ocular”, informa João Alberto de Freitas, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO).  Apesar de as lágrimas serem adquiridas em farmácias sem prescrição médica, o produto não deve ser utilizado indiscriminadamente, sendo recomendado por períodos curtos e apenas em casos de alta sensibilidade e princípio de conjuntivite.

Caso o problema persista, é preciso se afastar do produto que pode ter causado a reação e, na sequencia, procurar um médico que irá orientar sobre os melhores procedimentos.

Fonte: Terra

↑ topo
Copyright © 2018 - ViaOftalmo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Chipy Soluções Empresariais